Soninho do bebé

O sono da criança dos 0 aos 5 anos

O sono do bebé e as suas diferentes perturbações, cada vez mais frequentes, são um tema recorrente em consultas de pediatria.

Quais as necessidades de sono de uma criança dos 0 aos 5 anos?

O que quer dizer «fazer as suas noites»?

“Fazer as suas noites “, quer dizer dormir entre a meia-noite e as 5 horas da manhã sem reclamar comida ou a sua mãe, o que acontece em princípio por volta dos 3 meses, no máximo com 6 meses. Durante os primeiros dias, o recém-nascido tem períodos de sono muito curtos de 3-4 horas, sem ritmo circadiano. Muito rapidamente, ele torna-se sensível à alternância dia/noite e estará mais acordado durante o dia e dormirá mais à noite. Quanto mais o sono profundo aumenta, menos o recém-nascido acorda. No entanto, não quer dizer que o bebé não acorde. A cada mudança de ciclo, é normal acordar e voltar a adormecer alguns minutos depois. Da mesma forma, o recém-nascido chora normalmente durante o sono e volta a adormecer.

As necessidades em sono são diferentes para cada pessoa. Como identificar as necessidades da sua criança?

«As necessidades podem ser muito diferentes, com variações indo até 2-3 horas de sono por dia. Estas horas são favorecidas pelo ambiente da criança, referindo-se que a televisão, nomeadamente, faz perder tempo de sono. Para conhecer as necessidades de sono da sua criança, basta observá-la. Quando ele não dormiu o suficiente está agitado, de mau humor e facilmente irritável.»

Quais são os dados recentes em termos de sono e cronobiologia?

Um dos principais é a alternância dia/noite, ou seja luz natural/obscuridade, que indica o tempo, sobretudo no recém-nascido, porque se for levado a passear regularmente entre as 12 e as 16 horas em período neonatal, dormirá mais depressa à noite do que um recém-nascido que fica em casa. Para uma criança mais crescida, o mais importante é a regularidade da hora do acordar de manhã.
Quando é que se fala em perturbações do sono na criança…
«Fala-se em perturbações do sono por volta dos 6 meses de idade, se a perturbação se repetir todos os dias e todas as noites, e sobretudo se os pais não aguentarem mais. A perturbação do sono é em função da tolerância dos pais, porque não coloca o bebé em perigo. Antes dos 6 meses, só se fala em perturbação do sono se o bebé não dormir nada, ou menos do que 15 minutos seguidos, ou se não consegue ter ciclos de sono seguidos.»

Que perturbações do sono de origem psicológica se encontram na criança e quais são as causas?

As perturbações mais frequentes são as dificuldades em adormecer e o acordar frequente, depois dos quais a criança não consegue voltar a dormir sozinha. As causas nem sempre são fáceis de identificar, porque cada caso é específico. Pode ser um problema de educação (criança sem limites durante o dia que de repente se vê obrigada a ir dormir, quando está habituada a adormecer nos braços, embalado, com uma chupeta ou um biberão), de comportamento dos pais que temem pela vida do seu bebé e correm ao menor grito (problema durante a gravidez, separação traumática, sentimento de culpabilidade, depressão), de mudanças psicológicas no ambiente (problemas de casais, perca de trabalho, luto familiar, mudança de casa …)
Ou então podem estar ligados a uma falta afectiva da criança que não vê os seus pais durante o dia, para passar uma noite em segurança ou, se aparecem no período edipiano, porque a criança ciumenta não suporta ver os pais deitarem-se juntos. Os medos nocturnos são muito menos frequentes. Podem ter uma origem psicológica e aparecer em crianças mais introvertidas que têm dificuldades em expressar durante o dia os seus sentimentos e sobretudo a agressividade ou os ciúmes em relação, por exemplo, a um irmão mais novo que acabou de nascer.
Não confundir com pesadelos que são um fenómeno normal que pontua o desenvolvimento psicológico da criança e as dificuldades que esta encontra. Se os medos ou pesadelos forem muito frequentes, é preciso consultar um psicólogo.