Planear o parto

Planear a estada no hospital, a mala do bebé e da mãe, bem como a gestão das visitas são detalhes importantes para o casal que está prestes a assistir ao grande momento do nascimento.
Quando faltarem cerca de três semanas para a data prevista para o parto, os futuros pais devem começar a planear e a pensar a sua estada no Hospital.

Durante vários anos, o Bloco de Partos e toda a sua dinâmica funcional permaneciam no desconhecimento da população até ao dia do parto. «A mãe é obrigada a sair do seu meio ambiente, despojada de todos os objectos pessoais, entregue a técnicos que não conhece, desconhecendo efectivamente o seu percurso neste serviço, constituindo isto factores que geram insegurança, medo e ansiedade», refere Sílvia Lourenço, enfermeira pós-graduada em Psicologia da Gravidez e da Parentalidade.

Com o objectivo de diminuir o nível de tensão do casal, preconiza‑se que haja uma familiarização com o serviço e a equipa de saúde, mediante um contacto prévio antes do dia do parto. Ao efectuar‑se uma visita programada ao Bloco de Partos antes do dia do nascimento, os hospitais e as maternidades asseguram disponibilidade total. Facto que vai permitir que, no dia do internamento, a mulher viva apenas as preocupações relativas ao desempenho durante o trabalho de parto.
GESTÃO DAS VISITAS À MÃE E AO BEBÉ

 
Embora os regimes de visitas variem de hospital para hospital e do sector público para o privado, há regras que os profissionais recomendam em nome da necessidade de descanso e da saúde do bebé e da mãe. As visitas deverão permanecer o mínimo de tempo possível junto da mãe e do bebé. Visitas que apresentem alguns sintomas de doença (por exemplo, tosse, nariz a pingar, etc.) deverão abster-se de tocar no bebé; o ideal seria que nem fizessem a visita. Deve evitar-se a oferta de flores com cheiro muito activo ou que libertem muito pólen, por risco de alergia da parte do bebé. As visitas que queiram levar um «miminho doce» à mãe, deverão antes procurar saber junto dos profissionais de saúde se poderão fazê-lo.
A MALA

 
Não deixe tudo para a última hora, pois é mais que provável que, com a ansiedade, se esqueça de qualquer coisa. Antes de mais nada, informe‑se junto do seu médico assistente (Obstetra ou Médico de Família) ou junto do estabelecimento hospitalar escolhido que artigos deverá pôr na mala. Aquilo que poderá levar dependerá do facto de estar num hospital ou numa maternidade do Estado ou num hospital privado ou uma clínica particular. Todos os hospitais são diferentes, pois alguns fornecem praticamente tudo, ao passo que outros lhe pedem que traga a maior parte das coisas.

A enfermeira Sílvia Lourenço sugere que os casais façam uma visita prévia ao hospital ou maternidade onde vão ter o seu bebé para conhecerem as instalações e para poderem conversar com alguns profissionais que lá trabalham. Lá poderão obter uma lista dos artigos indispensáveis para a estadia. De acordo com a especialista, também a gestão de visitas é essencial para a tranquilidade e descanso da recém-mãe e do bebé acabado de nascer.

A MALA PARA O HOSPITAL

 
Não há uma lista única. Conforme o hospital, assim são as necessidades. Confirme esta lista com o seu médico ou junto do estabelecimento hospitalar onde o bebé irá nascer e assinale os itens necessários.

Artigos para a mãe:

– Três camisas de noite abertas à frente
– Roupão
– Dois pares de meias
– Chinelos de quarto e chinelos de banho
– Toalha de banho e toalha de rosto
– Quatro soutiens de amamentação
– Seis pares de cuecas de algodão ou descartáveis
– Uma embalagem de pensos higiénicos superabsorventes
– Discos protectores para os seios
– Escova de cabelo e elásticos para o cabelo
– Escova de dentes e pasta dentrífica
– Champô
– Sabonete
– Desodorizante
– Creme hidratante para o corpo
– Leitor de MP3
– Um livro
– Um telemóvel
– Exames que tenha realizado antes do internamento e os respectivos relatórios
– Boletim individual da grávida e documentos pessoais
– Indicação dos medicamentos que toma habitualmente
– Muda de roupa completa, com sapatos, para a saída da maternidade

Artigos para o bebé:
– Seis babygrows ou cueiros e camisolinhas
– Três pares de botinhas de lã
– Três casaquinhos de lã ou de linha
– Três fraldas de pano
– Um pacote de fraldas descartáveis para recém-nascido
– Um pacote de toalhetes
– Creme protector contra assaduras
– Envolta ou cobertor de bebé
– Gorro
– Cadeirinha (ovinho) homologada para transporte do bebé

Texto de Maria João Pratt
Com a colaboração De Sílvia Lourenço, enfermeira pós-graduada em Psicologia da Gravidez e da Parentalidade.