Antes de engravidar

A preparação da gestação aumenta as hipóteses de engravidar e possibilita gerar um bebé saudável. O que fizer no mês anterior à concepção, quando está a amadurecer o óvulo é extremamente crítico.
A fertilidade e a velocidade de concepção dependem de vários factores – psicológicos, físicos, ambientais. Mas, mais que tudo, a sua nutrição, especialmente o seu estado vitamínico e mineral, desempenham um  papel crucial.
Quase todas as pessoas que vemos em consulta apresentam sinais de deficiência em alguns nutrientes-chave. Contudo, embora uma alimentação pobre em tudo o que necessita não a torne de facto estéril, pode torná-la subfértil e reduzir as suas hipóteses de engravidar.
Fazer uma alimentação equilibrada, que reforce os níveis de todos os nutrientes essenciais, é a melhor forma de alcançar uma boa saúde e maximizar a sua fertilidade.
O zinco (presente nas ostras, borrego, frutos oleaginosos, gema de ovo, centeio, aveia) é fundamental para a saúde reprodutiva. A infertilidade, o baixo desejo sexual e os problemas menstruais têm, todos, sido relacionados com níveis inadequados deste mineral. Juntamente com a vitamina B6 (presente na couve-flor, agriões, bananas e brócolos), o zinco afecta todas as partes do ciclo sexual feminino.
As gorduras são uma parte importante da nossa alimentação, mas, enquanto as gorduras saturadas (alimentos industrializados, carne, lacticínios) prejudiciais são predominantes, os tipos benéficos estão em défice. Os peixes gordos, como as sardas, o arenque, as sardinhas e o salmão, são fontes ricas em ácidos gordos essenciais de nome ómega 3. Alguns frutos oleaginosos e sementes frescas, não salgadas, são ricas também em outro tipo de gordura essencial – os ómega 6. Tal como o zinco, vitamina B6, as gorduras ómega 3 e 6 em equilíbrio são necessárias ao normal funcionamento das hormonas.
O nosso organismo necessita de antioxidantes a partir da alimentação. Se estes estiverem em falta envelhecemos mais rápido, adoecemos e ficamos menos férteis.
Deste modo precisamos de uma boa ingestão dos seguintes nutrientes:
• Vitamina A (betacaroteno) – cenouras, batata-doce, alperces, abóbora e agriões.
• Vitamina C – vegetais verdes, pimentos, kiwis, tomate, citrinos e as bagas – mirtilos e framboesas.
• Vitamina E – frutos oleaginosos, sementes, peixes gordos, abacate, feijões e batata-doce.
• Selénio – castanhas do pará, sementes de sésamo, atum fresco, couves e cereais integrais.
• Fitonutrientes – frutas e vegetais de todas as cores – beterrabas, mirtilos, alperces, pimentos e vegetais de folha verde escura.
Proteja-se dos anti-nutrientes (substâncias que esgotam os recursos vitais do seu organismo e ao mesmo tempo não contribuem com nada em termos nutricionais), como os alimentos refinados (açúcar e alimentos feitos com farinha branca); o álcool; os cigarros, a cafeína e limite a exposição a metais tóxicos como mercúrio e alumínio. Para mais informações sobre este tópico, veja o texto “Tóxicos para o bebé, quais são e como evitá-los”.

E não podíamos deixar de falar do seu peso, pois ter peso a mais ou peso a menos podem comprometer a sua fertilidade. Por isso, mantenha um peso adequado à sua altura.