Para toda a família

As gorduras ómega 3 (ou mais correctamente, os ácidos gordos ómega 3) pertencem a uma família de gorduras, denominadas gorduras essenciais, que são gorduras que não conseguimos produzir, sendo por isso necessário fornece-las através da alimentação. Existe outra família de gorduras essenciais, designadas ómega 6 (ou ácidos gordos ómega 6). A família das gorduras ómega 6 compreende muitos ácidos gordos ómega 6, e a família ómega 3 compreende muitos ácidos gordos ómega 3. Todas estas gorduras são essenciais, e fundamentais à nossa saúde.
O mais fascinante das gorduras ómega 3 e das ómega 6, é que, de forma geral, têm efeitos completamente opostos no organismo: o que uma aumenta, a outra diminui, e vice-versa. O seu consumo deve ser por isso equilibrado, de forma a não dar demasiado de umas, e menos de outras, sob pena de desequilibrar inúmeras funções no organismo.
O grande problema da nossa alimentação actual é mesmo esse: o excesso de consumo de gorduras ómega 6 e défice de ómega 3 (fazer link para o texto: as gordura da nossa alimentação). As gorduras ómega 3 são essenciais para uma correcta função do cérebro, capacidade de aprendizagem, coordenação e equilíbrio do humor, influenciando também a fluidez do sangue, o controlo dos níveis de colesterol e dos triglicerídeos (gordura do sangue), além do seu papel na melhoria da função imunitária e do metabolismo, assim como na redução da inflamação e na manutenção do equilíbrio da água. Assim, não são apenas vitais para a saúde antes, durante e depois da gravidez, mas também para a saúde do seu futuro bebé. Um bom fornecimento de gorduras ómega 3 pode prevenir a depressão durante e após a gravidez (fazer link para o papel da nutrição na prevenção da depressão pós parto). A menor ingestão de gorduras ómega 3 e/ou a maior ingestão de gorduras ómega 6, podem por em causa todas estas funções. Devemos por isso privilegiar o consumo dos alimentos ricos em gorduras ómega 3 e controlar o consumo de gorduras ómega 6.
Caso pretenda saber como é que está o seu equilíbrio no que diz respeito a estas gorduras essenciais, saiba que é possível, através de análises de sangue específicas. Desta forma, é possível elaborar um plano alimentar e suplementação específica, com o objectivo de atingir este equilíbrio tão desejado.